Archive for Julho, 2008

Será que Cavaco Silva fez este esclarecimento, por receio de vir a perder votos nos Açores?

31/07/2008

Este esclarecimento de Cavaco devia ter sido por influência de algum assessor iluminado, que certamente alvitrou que este Estatuto Politico-Administrativo dos Açores estava “armadilhado” pelo PS.

Vale a pena recordar esta notícia publicada pelo “Publico” no passado dia 26

«Manuela Ferreira Leite acusou hoje o PS de ter avançado com a revisão do Estatuto Político-Administrativo dos Açores, sem introduzir as alterações recomendadas, “para arranjar um conflito” com o Presidente da República…».

Será que Cavaco…

31/07/2008

vai interromper  hoje as suas férias para anunciar ao País que vai demitir o Governo por estar a governar melhor que todos os governos PSD alguma vez fizeram, inclusive os seus enquanto foi 1º Ministro?

Afinal em que ficamos?

31/07/2008

Os exames de matemática do 12º ano da 1 Fase foi um escândalo porque eram muito fáceis e serviu para atacar o Ministério da Educação, pois estava-se a implementar o facilitismo, agora na 2 Fase em que se voltou às médias negativas, o exame foi difícil.

Mas afinal quando é que os Professores assumem a sua responsabilidade nos resultados dos alunos.

Os Professores dão-se ao luxo de nem serem responsareis pelos resultados dos alunos com exames fáceis, nem com exames difíceis, ou seja, só lá vão para receber o ordenado…

PS volta a subir nas intenções de voto

30/07/2008

De acordo com os dados apresentados pelo Barómetro Político da Marktest de Julho, o PS manteve-se como o partido com maior percentagem de intenção de voto. Depois da quebra verificada em Maio e da recuperação no mês seguinte, este partido viu a sua percentagem de intenção de voto subir 1.5 pontos percentuais, chegando a Julho com 36.7%

Cassete do PCP! “Evolução” na continuidade…

30/07/2008

Vejam as diferenças entre o discurso de  Álvaro Cunhal no XV Congresso do Partido Comunista Português 1996 e o actual discurso Jerónimo de Sousa.

Será que  Álvaro Cunhal naquela altura já se estaria a referir ao futuro Governo de Sócrates?

«Em Portugal não só se atravessa uma situação particularmente grave como poderá ter desenvolvimentos ainda mais agravantes, se o povo português não puser fim à política da direita desenvolvida pelo governo do PS e PSD em conjunto preparam contra o povo, contra o país, contra a democracia, contra os interesses nacionais.

Já ninguém contesta que o voto no PS traduziu a esperança numa mudança. O PS enganou o eleitorado, e o eleitorado que tinha tal esperança enganou-se de votar no PS.

Têm razão aqueles que dizem que a política de direita com o Governo PS é ainda mais perigosa do que a do Governo PSD com Cavaco. Primeiro pelo fato do PS se afirmar um partido de esquerda. Depois pelo “novo estilo”do Primeiro Ministro que sorridente e mediático convida ao diálogo. . . Embora tapando previamente os ouvidos.

PS e PSD oferecem o carnavalesco espectáculo de exaltadas batalhas verbais, de desacordos, de ultimatos de fim de semana como o dedo no gatilho de pistolas de alarme. Com o estrondo imediático da farsa, procuram esconder a real identidade das suas políticas e os entendimentos já estabelecidos ou em vias de se estabelecerem.

Um e outro estão a serviço dos grandes grupos económicos. Um e outro defendem a liquidação de direitos vitais dos trabalhadores. Um e ouro fomentam a acumulação de riqueza para uns e o alastramento de desemprego e da miséria….»

A obra financeira do PSD

30/07/2008

Não é frequente ver-se este gráfico que descreve a evolução do défice das contas públicas entre 1980 e 2004.
Para os mais esquecidos, o Ministro das Finanças do Governo da AD, em 1980 e 1981, foi Cavaco Silva. Apesar do desequilíbrio da balança de pagamentos, valorizou o escudo, baixou a taxa de juro e congelou os preços dos transportes públicos em pleno segundo choque petrolífero. Nunca a situação financeira do país se degradou tão depressa como então.
Não admira que Cavaco Silva tenha fugido rapidamente do governo e que Balsemão o tenha também abandonado em 1982. Em 1985 Cavaco voltou, já como primeiro-ministro, e isso nota-se imediatamente no gráfico. Nos anos subsequentes, a entrada dos fundos comunitários atenuou o défice do orçamento geral do Estado, que desceu para os 4% em 1989.
Mas era preciso conquistar nova maioria absoluta em 1991, de modo que as despesas correntes voltaram a crescer em flecha. A massa salarial dos professores, por exemplo, cresceu 98% entre 1989 e 1991.
Novo recuo temporário pós-eleitoral, novo disparo em seguida, de modo que, ao chegar ao Governo, o PS recebeu um défice de quase 8%. Pode-se ver no gráfico como ele diminuiu continuamente até 2000. Em 2001, ano em que se inverteu a tendência, subiu um pouco acima dos 4%, registando uma descida mínima em 2002.
Regressado em 2002 ao governo, o PSD retomou prontamente a sua tradição despesista, atirando o défice para perto dos 6%. Sabemos como, com Sócrates, regressou entretanto para perto dos 2%.
Ouvimos às vezes dizer que o trabalho feito pelo actual governo poderia ter sido feito pelo PSD, mas é difícil entender-se em que se baseia esta crença. Nada – mas mesmo nada – no currículo do PSD sugere que saiba ou queira pôr na ordem as contas públicas. Na sua última passagem pelo governo, agitou a crise financeira como justificação para reduzir despesas sociais, mas jamais revelou vontade de atacar os problemas de fundo, fosse reduzindo despesas, fosse aumentando receitas.
É necessária uma certa falta de pudor para, perante os dados revelados no gráfico acima, o PSD continuar a pretender apresentar-se como modelo de virtudes no que respeita à consolidação orçamental. É claro que só pode fazê-lo porque a esmagadora das pessoas nunca viu estes dados.
Eu acrescentaria que, bem vistas as coisas, não há nada de extraordinário na história da política orçamental do PSD. Olhem para os EUA e também aí constatarão que, mau grado as grandiloquentes proclamações, a direita deixa sempre atrás de si défices gigantescos. Vejam Reagan, vejam Bush pai, vejam Bush filho.
A redução dos impostos sobre as classes altas e a distribuição de dinheiro de forma indiscriminada para ganhar eleições levam inevitavelmente a esse resultado. Quem vier a seguir que resolva o problema.

Publicado por João Pinto e Castro no Blog “…bl-g- -x-st- -“

Eis a justificação (a sua incompetência) para Ferreira Leite estar tão preocupada com as Obras Públicas!

28/07/2008

Os líderes das distritais de Coimbra do PSD e PS estão de acordo com o não arquivamento do inquérito à derrapagem de 288% na construção da Ponte Santa Isabel em Coimbra, ex-Ponte Europa.

E a ex-Ministra das Finanças da altura, Manuela Ferreira Leite, estará de acordo, quando não tomou em consideração as orientações da Procuradoria-Geral da República, ao aprovar um decreto-lei que desvinculou a Ponte Europa do limite legal de trabalhos a mais permitido nas empreitadas públicas, dando ela antecipadamente cobertura ao que veio a ocorrer?

Deslocação do Grande Chefe “Cabeça Vermelha” ao Algarve

27/07/2008

O Grande Chefe “Cabeça Vermelha” deslocou-se ao Algarve para ver como iam os investimentos no golfe e nos resorts chegando à conclusão que o melhor investimento para o turismo era nas pescas e na agricultura tradicional da região.

Na sua deslocação também visitou algumas das suas tribos, para ver se ainda tem tempo de recompor em Aljezur onde o Presidente da Câmara nas ultimas eleições, por acção de alguns dos seguidores do “Cabeça Vermelha” fizeram com que ele “fugisse” para os direitistas do PS, bem assim como a acentuada perca de votos no Algarve da tribo do PCP, muito por culpa dos kamaradas estalinistas locais.

Reviver a “Festa do para trás” de 2006

27/07/2008

Acho muito bem! E a negociata dos submarinos?

27/07/2008

Paulo Portas vai solicitar investigação ao rendimento mínimo garantido.