Os “sapos” que Sócrates tem engolir a bem da Economia e dos nossos imigrantes

Chávez veio assinar com o Governo, mais cinco acordos económicos.

Chavez nos seus habituais delírios, garantiu que Sócrates «conhece bem o que está a acontecer na América Latina» e partilha consigo «o mesmo sangue, sonhos, utopias de Quixote e Bolívar».

Sócrates na sua declaração destacou «que existem 500 mil razões que para Portugal ter uma relação especial com a Venezuela» (são o número de portugueses que vivem e trabalham lá)

27 Respostas to “Os “sapos” que Sócrates tem engolir a bem da Economia e dos nossos imigrantes”

  1. Fernando Martins Says:

    Diz-me com quem andas…

    http://geopedrados.blogspot.com/2008/07/diz-me-com-quem-andas.html

    Fernando Martins para si qualquer coisa serve para criticar.
    Agora não apoia a politica diplomática do Governo, mesmo sendo com os seus camaradas?
    Percebo que o seu principal problema foi o Governo ter-lhe mexido nas mordomias e promoções na carreira sem avaliação, por isso o que importa é criticar por criticar, mesmo que seja incoerente em função do “esquerdismo” que gosta de apresentar nos seus argumentos.
    Olhe que a Fenprof zanga-se consigo…
    Bem sei que a principal ideologia dos professores é o tacho, por isso aguentaram na boa todos os Ministros da Educação até lhes terem acabado com o facilitismo na ascensão na carreira e consequente remuneração (Anti-Tretas)

  2. Fernando Martins Says:

    Esquerdismo…? Porreiro pá… eu sou de centro-direita. Mas mesmo que fosse, que camaradas são estes amigos de Sócrates: um assassino psicopata e velho líder de terroristas, um velho senil assassino, um maluco que pensa que é o Bolivar ou um corrupto de 1ª…?

    PS – uma sugestão: coloque os seus comentários a seguir aos meus – eu não gosto destas intimidades e do seu bold. Depois, sendo professor, estou habituado a muita coisa: gente malcriada, mentirosos, aldrabões e aguento tudo – agora que um moço de recados diga que eu tenho um tacho e que ganho bem, parece-me um bocadinho demais. Já trabalhei fora do ensino e sei o que poderia ganhar se quisesse sair do Ensino…

    Quanto às regalias do cargo/emprego, basta dizer que o Estado que me paga o salário já mudou as regras que contratualizou comigo por diversas vezes, sempre em meu desfavor, e que nos últimos 8 anos recebi aumentos abaixo da inflação.

    Agora estes são camaradas do Sócrates?
    Até aqui o Sócrates já foi tudo da direita, até fascista… Então agora já é comuna!
    É sempre a mesma conversa de prof ressabiado!
    Para quem ganha o que ganha, os profs falarem do aumento abaixo da inflação até da vontade de rir… não goze com a maioria dos pais dos seus alunos que têm em média remunerações de 650 euros na melhor das hipoteses
    Eu também aguento tudo de profs ressabiados malcriados e mentirosos e não me queixo.
    Eu estou-me nas tintas que me chame moço de recados, uma coisa é certa, eu para subir na minha carreira nunca precisei de favores nem temi avaliações ao contrário dos profs, que sempre fizerem o que lhes dava na real gana sem prestar contas a ninguém e lá iam subindo, subindo, subindo até aos 53 anos para depois se reformarem num escalão que desse uma boa reforma.

    Se não gostar desta forma de resposta aos seus comentários, tem bom remédio, não os faça! [Anti-Tretas]

  3. Fernando Martins Says:

    Mais um sapo – bem gordo:

    http://porquemedizem.blogspot.com/2008/07/parecem-escolhidos-dedo.html

    Assim se percebe a razão do insucesso dos alunos, com profs que para terem razão, manipulam de uma forma demagógicamente barata, tudo que sirva para se vingarem da espinha que têm na garganta! Não hão-de manipular a sua desresponsabilização nos maus resultados dos alunos [Anti-Tretas]

  4. Fernando Martins Says:

    Caro anti-tretas ou lá como te chamas:

    Foste tu que falaste dos amigos do Sócrates, de sapos e de “acordos”. Depois, como não conseguiste encaixar o que disseste e as minhas críticas ao que disseste, disparaste contra os professores.

    Já ouviste falar em coerência? Este post não era sobre os sapos do Sócrates tem de engolir (o ditador canibal por ele convidado deve ser outra coisa qualquer…). E há muitos portugueses na Guiné Equatorial para o Nguema Junior ser convidado para uma cimeira?

  5. anti-tretas Says:

    Caro Francisco Martins
    Não é demagogia barata culpar-se Sócrates pela presença da Guiné Equatorial como País observador e em sua representação estar cá o ditador Nguema Júnior?
    Cabe na cabeça de alguém, (só a alguns profs doentes) imputar responsabilidades a Sócrates, pela escolha da Guiné Equatorial como Observador?
    Já agora como vês, a presença desse ditador é mesmo um “sapo” que ele certamente teve de engolir, isto porque os Países Africanos estão em maioria na CPLP e as decisões devem ser democráticas apesar de alguns Países presentes não saberem o que é isso…
    Essas observações são atentados à inteligência de quem lê esses disparates que fazes questão de publicitar.
    Já agora o ditador José Eduardo dos Santos só não está cá porque em representação de Angola veio o 1º Ministro Fernando Piedade “Nandó”

  6. Fernando Martins Says:

    Caro “anti-tretas”:

    O Sócrates convida quem quer – é por isso que é Primeiro Ministro. Depois só tem de aceitar que as pessoas critiquem as suas escolhas (é por causa disso que a Constituição fala de democracia).

    A Guiné Equatorial está cá por causa do seu petróleo, pois o Kadafy e o José Eduardo dos Santos arranjaram à empresa do Fernando Gomes mais este negócio. É um bom negócio – mais ninguém no panorama mundial está interessado em associar o seu nome a um ditador assassino canibal, mas o estômago de certos políticos dá para tudo.

    Só lhe fica bem defender os interesses de Sócrates, de Ngema Junior ou do senhor dos Santos – agora não doure a pílula porque depois a malta começa a rir-se e parece mal…

  7. anti-tretas Says:

    Caro Fernando Maritins
    A reunião da CPLP cá em Portugal e a presença de Guiné Equatorial nessa reunião como observador não tem nada a ver com convites pessoais de Sócrates, mas sim com decisões colegiais dos seus membros. Entendo que lhe seja difícil compreender, por isso deturpa as coisas e até se dá ao luxo de especular sobre um pretenso negocio arranjado a Fernando Gomes com a Guiné Equatorial.
    Só lhe fica mal como professor, pois revela muita ignorância confundir relações económicas e diplomáticas com ditadores e loucos como José Eduardo dos Santos, Chavez ou Kadafy, mesmo que se tenha de engolir alguns “sapos”, com ressabiamento pessoal, por lhe terem pedido à força, maior honestidade na evolução da sua carreira.
    Como professor não vá por aí, porque depois a malta começa acreditar mesmo, na falta qualidade da classe docente deste país, e parece mal …

  8. Fernando Martins Says:

    Caro tretas:

    As “decisões colegiais” passam pela aceitação colectiva de um novo parceiro. Portugal como país anfitrião tinha e tem uma palavra a dizer sobre aceitar um país que não fala português na Cimeira. Bastava um simples não de Sócrates para não passarmos esta vergonha – quem decide a política e relações internacionais, é como diz a Constituição, da responsabilidade do Governo. Mas Sócrates aceitou-o, de bom grado – a um assassino torcionário canibal, chefe de estado de um dos países mais pobres de África e curiosamente, um dos homens mais ricos do Mundo…

    “Como professor não vá por aí, porque depois a malta começa acreditar mesmo, na falta qualidade da classe docente deste país, e parece mal …”
    Quanto à qualidade dos docentes, há de tudo. Eu gostaria que passasse pelos meus Blogues (de turmas, de Departamento, de projectos colectivos, da minha terra e pessoais) e sites que mantenho e que fizesse lá essa crítica, depois de analisar o meu trabalho. Mas não se prenda – os insultos de um reles capacho que dá erros sucessivos (quantos títulos e textos eu já lhe corrigi…?) não me atrapalham. Se há aqui alguma coisa para criticar é as escolhas de Sócrates, a sua defesa do indefensável e os seus insultos gratuitos.

    Como acho que não deve ser ignorância, é mentir! Mentir é muito feio e mais feio é, quando vem de profs, é muito mau exemplo para os alunos!
    A Guiné Equatorial tem o estatuto de observador desde 2006! Naturalmente que foi já a pensar no futuro suposto negócio com Fernando Gomes. Tretas só tretas !
    Sei porque não gostas que eu te responda aqui, porque assim não podes alterar o sentido dos meus comentários, como a afirmação que fazes do meu inventado apoio, tipo negocio de Fernando Gomes, a Ngema Junior e a José Eduardo Santos, que em lado nenhum encontras o mínimo indicio desse apoio, se não na tua cabeça ressabiada, em que vale tudo, mesmo a mentira para desacreditar todos que apoiam as reformas deste governo em particular no fim do facilitismo na evolução das carreiras dos profs à conta dos contribuintes
    Não tentes dourar os teus comentários porque depois a malta começa a rir-se e parece mal… mais a mais sendo tu um prof! [Anti- Tretas]

  9. JP Says:

    Os argumentos do Fernando Martins de tão básicos que são, revelam total ignorância relativamente ao funcionamento das organizações internacionais.
    A ONU tem entre os seus membros muitos ditadores, mas sempre que se realiza uma assembleia, nenhum dos seus representantes está impedido de entrar nos EUA para participar nela
    As Maurícias e o Senegal também têm o estatuto de Observador na CPLP e a Galiza também quer obter esse estatuto.
    No XIº Conselho de Ministros, reunido em Bissau, em Julho de 2006, por proposta do Secretariado Executivo ( Luís Fonseca de Cabo Verde ) foi recomendada a atribuição do Estatuto de Observador Associado à República da Guiné- Equatorial e à República da Ilha Maurícia, passando estes a gozar dos direitos enumerados no artigo 7º dos Estatutos.
    Pode-se questionar a admissão da Guiné Equatorial com Estatuto de Observador, devido ao facto do Pais não reunir os requisitos democráticos contemplados nos Estatutos da CPLP, independentemente de ela se ter comprometido a adoptar a língua Portuguesa como 3ª língua nacional, mas imputar a responsabilidade a Portugal na sua admissão ou é por ignorância ou má fé.
    É óbvio que o Governo não poderia impedir a entrada de Ngema Junior em Portugal em virtude do seu Pais ter sido admitido em 2006 com o estatuto de observador.
    Isto só revela que é comentar por comentar, só para dizer mal do Sócrates.

  10. Fernando Martins Says:

    Caros senhores (se for só um peço desculpa pelo lapso):

    A Guiné Equatorial é observador da CPLP porque TODOS os países desta a aceitaram – incluindo Portugal e o seu Primeiro Ministro, na altura um tal de “Engenheiro” José Sócrates. Sócrates é corresponsável por esta entrada pela porta do cavalo do presidente milionário e assassino canibal a quem a Espanha (o Rei e o Presidente do Conselho) não apertam a mão (vide Zaragoza 2008…). Depois, para um chefe de estado vir a outro país é preciso ser convidado por esse mesmo país – há aquela coisa da soberania que às vezes dá jeito…

    Tentais tapar o sol com a peneira mas são tantos os buracos que a verdade vem sempre ao de cima… Só uns serviçais um bocadinho estúpidos tentariam defender o indefensável, mas cada um lá sabe para que lhe pagam.

    PS – A sugestão de colocar os seus comentários num novo comentário e sem ser a Bold – a blogosfera tem regras e era bom que as percebesse rapidamente. Eu nunca apago os meus comentários (sabe que eu não faço log-in, logo não os posso apagar ou censurar).

  11. JP Says:

    Mais uma vez a sua ignorância a vir ao de cima !
    Efectivamente qualquer adesão mesmo para os Observadores tem de ser por unanimidade, mas uma adesão a qualquer organização internacional não pode ser feita nem na CPLP nem em lado nenhum pela “porta do cavalo!
    Aconselho-o a ler este documento http://www.google.pt/search?hl=pt-PT&q=representante+de+Portugal+em+2006na+cplp&btnG=Pesquisar&meta= para não dizer tanto disparate!
    “POR QUE NO TE CALLAS?”

  12. Fernando Martins Says:

    Olha lá, ó ignorante, o que acontecia se Portugal, através de nosso magnífico “engenheiro” Sócrates, se opusesse à entrada da Guiné Equatorial na CPLP…? Ou pedisse que fosse expulsa por ter um regime democrático?

    Disparates diz quem defende assassinos, canibais e milionários políticos sentados com governantes democraticamente como se fossem todos iguais.

  13. Fernando Martins Says:

    No comentário anterior onde escrevi “regime democrático” leia-se “”regime anti-democrático”.

  14. JP Says:

    De uma vez por todas, para ver se não vem com mais comentários de ignorante.
    Começo por informa-lo que quem presidiu e aprovou por Portugal a entrada da Guiné Equatorial com o Estatuto de Observador foi Cavaco Silva, apesar de Sócrates também ter estado presente.
    Como deveria saber na CPLP os principais representantes de cada País são os Presidentes da Republica, por isso Cavaco Silva nesta reunião de Lisboa vai receber a Presidência que durará dois anos.
    Todas as considerações neste caso à volta de Sócrates não passa de ignorância e má fé do Fernando Martins , pois até nas questões de soberania o meu caro revela profunda ignorância sobre os requisitos de impedimento de entrada de um Presidente da Républica com quem o Estado tem relações diplomáticas há anos!

    Antes de falar informe-se bem para não dizer disparates! Vá-se entretendo aqui:
    http://www.cplp.org/VI_Confer%C3%AAncia_de_Bissau.aspx?ID=162

    “POR QUE NO TE CALLAS?”

  15. Fernando Martins Says:

    És um bocadinho burro, não és?

    Quem decide a política externa (e a CPLP faz parte desta…) é o Governo. Há países em que o presidente tem poderes nesta matéria, mas não é o caso de Portugal. Logo não foi o Cavaco que decidiu coisa alguma sobre o assunto, apenas recebeu ordens do Governo sobre a matéria…

    Antes de se falar sobre assuntos que a Constituição clarifica tão bem é necessário lê-la antes – porque não o fazes…? Sugiro que comeces pelos artigos 133, 134 e 135 e depois vás até ao 197 e o leias bem…

    Pode defender o que quiser – a boa vontade em o “engenheiro” Sócrates convidar ditadores-presidentes assassinos para nos visitarem, o política de esquecer o resto (os assassinatos, os actos de canibalismo, ou roubo das riquezas de um qualquer ditador) em detrimento do petróleo que iremos roubar ao estado da Guiné Equatorial (ou as seus cidadão…) em conivência com o assassino Nguema – agora não espere deitar as culpas para o Cavaco – capaz do mesmo era ele mas neste caso não tem nenhuma culpa…

  16. JP Says:

    Poderei ser um bocado burro, mas tu abusas…

    Mesmo que queiras dourar a tua ignorância com artigos da Constituição, ela não tem limites…
    Repito, todas as considerações neste caso à volta de Sócrates não passa de ignorância e má fé, pois até nas questões de soberania o meu caro revela profunda ignorância sobre os requisitos de impedimento de entrada de um Presidente da República com quem o Estado tem relações diplomáticas!😉

  17. Fernando Martins Says:

    Para terminar de vez esta tua birra, vou citar os artigos da constituição sobre poderes do Presidente e do Governo/Primeiro Ministro:

    “Artigo 133.º
    (Competência quanto a outros órgãos)
    Compete ao Presidente da República, relativamente a outros órgãos:
    a) Presidir ao Conselho de Estado;
    b) Marcar, de harmonia com a lei eleitoral, o dia das eleições do Presidente da República, dos
    Deputados à Assembleia da República, dos Deputados ao Parlamento Europeu e dos deputados às
    Assembleias Legislativas das regiões autónomas;
    c) Convocar extraordinariamente a Assembleia da República;
    d) Dirigir mensagens à Assembleia da República e às Assembleias Legislativas das regiões
    autónomas;
    e) Dissolver a Assembleia da República, observado o disposto no artigo 172.º, ouvidos os partidos nela
    representados e o Conselho de Estado;
    f) Nomear o Primeiro-Ministro, nos termos do n.º 1 do artigo 187.º;
    g) Demitir o Governo, nos termos do n.º 2 do artigo 195.º, e exonerar o Primeiro-Ministro, nos termos
    do n.º 4 do artigo 186.º;
    h) Nomear e exonerar os membros do Governo, sob proposta do Primeiro-Ministro;
    i) Presidir ao Conselho de Ministros, quando o Primeiro-Ministro lho solicitar;
    j) Dissolver as Assembleias Legislativas das regiões autónomas, ouvidos o Conselho de Estado e os
    partidos nelas representados, observado o disposto no artigo 172.º, com as necessárias adaptações;
    l) Nomear e exonerar, ouvido o Governo, os Representantes da República para as regiões autónomas;
    m) Nomear e exonerar, sob proposta do Governo, o presidente do Tribunal de Contas e o Procurador-
    Geral da República;
    n) Nomear cinco membros do Conselho de Estado e dois vogais do Conselho Superior da
    Magistratura;
    o) Presidir ao Conselho Superior de Defesa Nacional;
    p) Nomear e exonerar, sob proposta do Governo, o Chefe do Estado-Maior-General das Forças
    Armadas, o Vice-Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, quando exista, e os Chefes de
    Estado-Maior dos três ramos das Forças Armadas, ouvido, nestes dois últimos casos, o Chefe do
    Estado-Maior-General das Forças Armadas.

    Artigo 134.º
    (Competência para prática de actos próprios)
    Compete ao Presidente da República, na prática de actos próprios:
    a) Exercer as funções de Comandante Supremo das Forças Armadas;
    b) Promulgar e mandar publicar as leis, os decretos-leis e os decretos regulamentares, assinar as
    resoluções da Assembleia da República que aprovem acordos internacionais e os restantes decretos
    do Governo;
    c) Submeter a referendo questões de relevante interesse nacional, nos termos do artigo 115.º, e as
    referidas no n.º 2 do artigo 232.º e no n.º 3 do artigo 256.º;
    d) Declarar o estado de sítio ou o estado de emergência, observado o disposto nos artigos 19.º e
    138.º;
    e) Pronunciar-se sobre todas as emergências graves para a vida da República;
    f) Indultar e comutar penas, ouvido o Governo;
    g) Requerer ao Tribunal Constitucional a apreciação preventiva da constitucionalidade de normas
    constantes de leis, decretos-leis e convenções internacionais;
    h) Requerer ao Tribunal Constitucional a declaração de inconstitucionalidade de normas jurídicas, bem
    como a verificação de inconstitucionalidade por omissão;
    i) Conferir condecorações, nos termos da lei, e exercer a função de grão-mestre das ordens
    honoríficas portuguesas.

    Artigo 135.º
    (Competência nas relações internacionais)
    Compete ao Presidente da República, nas relações internacionais:
    a) Nomear os embaixadores e os enviados extraordinários, sob proposta do Governo, e acreditar os
    representantes diplomáticos estrangeiros;
    b) Ratificar os tratados internacionais, depois de devidamente aprovados;
    c) Declarar a guerra em caso de agressão efectiva ou iminente e fazer a paz, sob proposta do
    Governo, ouvido o Conselho de Estado e mediante autorização da Assembleia da República, ou,
    quando esta não estiver reunida nem for possível a sua reunião imediata, da sua Comissão
    Permanente.

    Artigo 197.º
    (Competência política)
    1. Compete ao Governo, no exercício de funções políticas:
    a) Referendar os actos do Presidente da República, nos termos do artigo 140.º;
    b) Negociar e ajustar convenções internacionais;
    c) Aprovar os acordos internacionais cuja aprovação não seja da competência da Assembleia da
    República ou que a esta não tenham sido submetidos;
    d) Apresentar propostas de lei e de resolução à Assembleia da República;
    e) Propor ao Presidente da República a sujeição a referendo de questões de relevante interesse
    nacional, nos termos do artigo 115.º;
    f) Pronunciar-se sobre a declaração do estado de sítio ou do estado de emergência;
    g) Propor ao Presidente da República a declaração da guerra ou a feitura da paz;
    h) Apresentar à Assembleia da República, nos termos da alínea d) do artigo 162.º, as contas do
    Estado e das demais entidades públicas que a lei determinar;
    i) Apresentar, em tempo útil, à Assembleia da República, para efeito do disposto na alínea n) do artigo
    161.º e na alínea f) do artigo 163.º, informação referente ao processo de construção da união europeia;
    j) Praticar os demais actos que lhe sejam cometidos pela Constituição ou pela lei.
    2. A aprovação pelo Governo de acordos internacionais reveste a forma de decreto.”

    Se não perceberes tudo eu faço-te um desenho…

  18. JP Says:

    Citares esses artigos servem só para dourar a tua ignorância e nada tem a ver com a CPLP
    Torno a repetir para ver se percebes pelo menos isto:
    Revelas profunda ignorância sobre os requisitos de impedimento de entrada de um Presidente da República com quem o Estado tem relações diplomáticas!😉
    Como já vi que não percebes, queres que faça um desenho?

  19. Fernando Martins Says:

    Não está interessado em dar-te mais lições, mas já que insistes:

    1. Os convites a Chefes de Estado são feitos protocolarmente pelo Chefe de Estado de Portugal, por indicação de quem define as Relações Exteriores do país – o GOVERNO.

    2. O Governo português aceitou como convidado na CPLP a Guiné Equatorial e aceitou convidar o seu Presidente para Lisboa – esquecendo o facto de o presidente desta República é um assassino, ditador e muitas outras coisas mais.

    3. O presidente português pode dar palpites nestas coisas mas não decide nada.

    4. Um presidente só vai oficialmente a outro país após convite oficial. Há excepções para eventos públicos internacionais (Nações Unidas e Exposições Universais/Mundiais) mas nestes casos a visita pode ser particular e não haver protocolo oficial.

    5. É um bocadinho infeliz tentar passar para outro aquilo de que Sócrates tem culpa – a infeliz visita a Portugal, com honras de estado, de mais um assassino/ditador/presidente/milionário que dá pelo nome de Teodoro Obiang Nguema.

    Percebeste tudo ou queres mais outro desenho?

  20. Fernando Martins Says:

    Para perceberes melhor, sugiro que leias o artigo do Público (e os posts de Blogues que o citam) em:

    http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1336546

  21. JP Says:

    Fernando Martins , não estou interessado em dar-te mais lições, esta foi a ultima!

    Se pelos Estatutos de CPLP um observador pode assistir às suas conferências e ele foi aceite como tal, e Portugal mantêm relações diplomáticas com a Guiné Equatorial, como se poderia impedir a entrada dele cá ,se o facto desta reunião ser em Portugal é por mera rotatividade dos Países signatários?

    Meu caro acho que te deves dedicar às pedradas porque nisso és capaz de seres bom, porque em matéria de politica fazes muitas confusões com o objectivo de desestabilizar, mas quem acaba por ficar baralhado és tu!
    Prometo que não te respondo mais para ficares com o último comentário sobre o tema, mas não o manipules muito para eu não ter que voltar…

    Já agora relativamente à noticia do pasquim “Publico”, ele “espera que a entrada do Pais seja definitiva”, como membro da CPLP para deixar de ser observador.
    Talvez seja melhor fazer um desenho?

  22. Fernando Martins Says:

    Porra que és burro:

    1. A Guiné Equatorial pode participar como observador porque Sócrates aceitou que esta entrasse em 2006 na CPLP e convidou (mandou convidar) o assassino ditador que é seu Presidente. De outro modo esta estaria representada a nível de Primeiro Ministro ou Ministro dos Negócios Estrangeiros, se Portugal não se opusesse – repara que em Cimeira Ibero-Americanas já houve incidentes de recusa de entrada a gente com mais nível…

    2. Só fica bem a um parvo perceber que a Espanha, que tinha obrigatoriamente de receber o assassino ditador Nguema na Expo Zaragoza 2008 recusou que este tivesse direito ao chefe de estado ou Primeiro Ministro nessa recepção – será que percebes a diferença para o que aconteceu na cimeira da CPLP…?

    3. Fica muito bem a um país que defende os direitos humanos convidar assassinos canibais para cimeiras em que se defende estatutariamente a democracia.

    4. Fica-te muito bem a ti defender quem te paga para dizeres estas baboseiras – agora chamares os outros de parvos é que já me parece exagerado.

    Mentira!
    O ditador não foi impedido de entrar em Espanha! O que aconteceu foi que nem o Rei nem Zapatero o receberam devido desaparecimento Severo Moto, líder da oposição da Guiné-Equatorial, exilado em Madrid.
    O problema Fernando Martins, é que não percebe a diferença que existe entre uma reunião no País de um dos membros da CPLP em que não é possível impedir a entrada de nenhum dos outros membros, incluindo os observadores e uma qualquer deslocação a um País para visitar um evento
    Nos Estatutos da CPLP, nenhum membro se pode imiscuir na politica interna dos Países dos outros membros! [Anti-Tretas]

  23. Fernando Martins Says:

    Caro tretas:

    Como continuas a deturpar e acrescentar os meus comentários, passo a explicar novamente, a verse desta vez percebes:

    1. Um ditador assassino/canibal pode entrar em qualquer país quando quiser, desde que tenha relações com esse país. Contudo para ser recebido OFICIALMENTE há outros trâmites, que Sócrates honrosamente cumpriu neste caso. Pelo contrário, a Espanha, que também era obrigada a receber OFICIALMENTE o ditador, arranjou maneira de não fazer (bastou-lhe dizer que o Primeiro Ministro e Rei tinham compromissos nessa data).

    2. O nosso Sócrates não: aceitou de braços abertos em 2006 o ditador na CPLP, recebeu-o com honras de estado em 2008 e é muito amigo dele (será um favor que está a fazer a outro ditador-assassino, de nome Kadafy?). É de homem fazer isto tudo por uns barris de petróleo…

    3. A Guné Equatorial não é membro da CPLP, logo as regras que o tretas refere não se lhe aplicam. Aliás não o poderia ser – o país não é uma democracia, como é necessário ser para pertencer à CPLP…

    4. “Nos Estatutos da CPLP, nenhum membro se pode imiscuir na politica interna dos Países dos outros membros!” Éa Guiné Equatorial membro da CPLP…? É ingerência nos assuntos externos não receber ditadores…?

    5. Aconselho-o ainda a ver o que o Presidente da CMLisboa vai dizer na 2ª sobre o assunto na RTP, tal como dezenas de outros comentadores e pessoas da área socialista já disseram. É preciso ter muito estômago para defender Sócrates neste caso – os meus parabéns.

    Como penso que fez o JP, também eu não vou perder mais tempo nem com isto. A sua ignorância está bem patente no seu ponto 3. Leia os Estatutos da CPLP e se não perceber arranje outro explicador, eu cansei desta sua teimosia de querer à força impor a sua razão, sobre um assunto que não entende nada! Esquece-se que a diplomacia de interesses é aplicada por todo o mundo Ocidental. Estranho que sendo Professor independentemente de não gostar de Sócrates, não entenda isso.
    Meu caro, tem toda a razão… Efectivamente Sócrates não devia ter “deixado entrar” o ditador na CPLP e muito menos em Portugal…
    Já está contente? Espero que sim! [Anti-Tretas]

  24. Fernando Martins Says:

    Ainda não estou contente – engoles sapos com mais dificuldade do que o Sócrates, que engole ditadores com muita mais naturalidade e sem pestanejar ou ter de se justificar – é para isso que servem os assessores e quejandos… Mas tu vai lá – olá se vais.

  25. Anti-traste Says:

    Os Tretas/JP, incapazes de dizer duas ideias com sentido e/ou perceber tudo o que lhes é oferecido de bandeja, tentam disfarçar a sua incapacidade (ignorância) atacando quem, claramente, sabe muito mais que eles.
    Esta sequência de comentários, para quem tiver dúvidas, prova à saciedade quem é que sabe do que fala.
    Isto é um ‘tratado’!
    Os Tretas/JP estão encarregados da mensagem da cartilha.
    É na cartilha que está a sua verdade.
    Quem não for na cartilha não percebe nada, não sabe do que fala.
    Já foi assim no tempo do Salazar!…
    Querem que volte a ser…
    Mas não será!…
    O título do post é curioso!
    Sapos!… O que será isso?
    Sócrates a engolir sapos?
    Toma as iniciativas e ainda quer passar por vítima?
    Menino d’oiro… negro. Do que vem de Angola, Venezuela, …

  26. Anti-traste Says:

    O Tretas, no último comentário ao FM, clarifica o que orienta a acção deste governo:
    “diplomacia de interesses”.
    Este governo é socialista? Onde sestá o sapo?

  27. AR Says:

    “diplomacia de interesses”?

    Venha a nós dinheiro, que o socialismo está numa gaveta do Colégio Moderno onde o Marocas o fechou há muito tempo…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: