As contas que o Guinote faz relativamente às Contas Públicas, como se de uma mercearia se tratasse!

Se um professor de História, digo estórias, que devia ter tido formação geral inclusive a matemática, faz contas assim, o que se pode pedir aos alunos?

«…eu proporia que quem tem como missão exclusiva tratar desses assuntos perdesse umas horas ou dias a calcular o que o ME poupou em matéria de congelamento da progressão das carreiras dos professores e com o sistema de quotas na progressão para titular.

A seguir fazer as contas exactas de quanto o ME vai, efectivamente, gastar com as acções de propaganda a desenvolver no início do próximo ano lectivo. Porque a distribuição de livros será coisa para meio milhão de euros, quanto muito. Assim como os prémios de mérito. E perceber quantos computadores vão ser mesmo oferecidos e o que isso representa em investimento, não a preço de mercado, mas a preço de custo.

Obtidos esses números, compará-los uns com os outros e perceber se quem anda a pagar os brilharetes do senhor engenheiro e da tríade ministerial da 5 de Outubro não será a bolsa dos professores…»

22 Respostas to “As contas que o Guinote faz relativamente às Contas Públicas, como se de uma mercearia se tratasse!”

  1. Luís Costa Dias Says:

    Realmente esse individuo não deve perceber mesmo nada de Contas Públicos, confundir redução ou contenção das despesas Públicas com Investimentos, é muita ignorância para professor!

  2. Maria Helena Says:

    Na linha do raciocínio desse Senhor eu enquanto contribuinte, tenho que pagar o mesmo aos “meus funcionários” querem sejam bons profissionais ou maus…

  3. Fernando Martins Says:

    De um Blog:

    “É de facto lamentável que:

    – alunos com fome se continuem a sentar diariamente nas nossas salas de aula (desde o 1º ciclo ao secundário);
    – alunos sem posses tenham que ir para a escola sem material escolar;
    – sejam os professores que durante esta legislatura tem sido maltratados, insultados, privados de progredir e cuja carreira foi aniquilada, se vejam obrigados a ajudar os alunos com efectivas carências que o ME ignora;
    – se usem as verbas retiradas a esses mesmos professores, através de um ECD, concurso de Titulares e novas regras para a Aposentação, para se adquirirem 500 mil computadores e 115 mil livros, pondo desta forma em marcha a propaganda para as próximas legislativas.

    Agora, exigir a esses mesmos professores que tenham o trabalho logístico de “distribuir os livros”, organizar os fantástico eventos do “dia do diploma” e da atribuição dos “500 Euros ao melhor aluno dos cursos científico-humanísticos e ao melhor aluno dos cursos profissionais ou tecnológicos“, coagindo-os a pactuar nessa vergonhosa propaganda, é demais!”

  4. anti comunas Says:

    Mas que estupidez!
    Nesta óptica todos os funcionários públicos poderiam tirar as mesmas conclusões em qualquer investimento do Estado!
    Mas este tipo é mesmo Professor?

  5. Paulo Costa Says:

    O Guinote passou-se!
    Na volta, ainda se vai ver muito prof a embarcar nessa, o que só ridiculariza ainda mais os profs

  6. Um Funcionário Público Says:

    Ele tem razão!
    Lá no hospital onde trabalho, todos os novos equipamentos que foram colocados em vários Serviços, foram todos à minha conta e do restante pessoal administrativo!

  7. Rogério Silva Says:

    Eh! Eh! Eh!
    Sendo assim, eu também paguei as obras na casa de banho da minha Repartição!

  8. Sabemos Que Tocamos Num Ponto Sensível… « A Educação do meu Umbigo Says:

    […]   … quando aqueles que foram destacados para fazer marcação a este blog e a mim se agitam. Aliás, eu gosto mesmo é de notar a que tipo de assuntos ou poste reagem, porque isso é uma boa […]

  9. Paulo Costa Says:

    Mas este tipo tem mesmo a mania que é importante, como se alguém perdesse tempo a fazer-lhe marcação, apesar do Anti-Tretas não deixar passar estas aberrações…

  10. albino mau Says:

    Boa noite isto está animado!
    O Anti-Tretas pelos visto ainda não foi de férias!
    Relativamente a este Post gostaria de dizer ao Guinote se Cervantes o tivesse conhecido reescreveria o seu D. Quixote mais ou menos assim:

    “Em Setembro o Guinoquixote montado na sua Rocinante umbigo, irá caminhar acompanhado dos seus fieis escudeiros os Pançaguinodocentes, para defender a sua Dulcineiamordomia contra os inimigos que são as paredes do Ministério…”

  11. Feira Says:

    btens razão antitretas/b

  12. Anti-traste Says:

    Os treteiros continuam incomodados com o que o Paulo Guinote escreve.
    Sabe o que escreve e fundamenta, ao contrário do que escrevem o tretas/JP/PCosta/Mau e CIA.
    Estes estão bem instruídos/assessorados quanto às estratégias a utilizar.
    Nunca gostaram de ser desmascarados.
    Nem de ver desmascaradas as trampolinices deste governo.
    Claro que este governo está a usar o que roubou aos professores e restantes funcionários públicos para fazer de conta que se preocupa com as pessoas. E o festival de CIRCO ainda está só no seu início.
    Temos que fazer um manguito do tamanho do país.

  13. António Duarte Says:

    Por aquilo que aqui li depreendo que este antitretas é uma grande treta. Como o socialismo do PS. Como o medíocre que escolheram para líder. Como a Universidade em que este se licenciou. Percebo que um engenheiro feito a martelo aprecie a “boa governação” assente na troca de favores. E que queira promover o facilitismo e a mediocridade até como forma de autodefesa, dele e da sua clique de ignorantes e incompetentes. Já percebemos que este PS não gosta dos professores. Sobretudo, não gosta daquilo que a profissão representa, ou deveria representar: conhecimento, espírito crítico, exigência, rigor, independência.

  14. PêÉsse PêÉsse Says:

    PS! PS! PS! PS! Só agora descobri aqui a sede do PS online. PS! PS! PS! PS! Há por aí algum empregozito? PS! PS! PS! PS!

  15. anti-socialistas-da-treta Says:

    De facto, isto por aqui está mesmo animado: nunca vi tanta bicharada junta! São cães-de-guarda sempre prontos a ladrar em defesa do seu dono; são papagaios a repetir continuamente as palavras do mesmo dono; são carneiros a mastigar e a comer a palha preparada pelo mesmo dono. O que une estes animais tão diferentes é o facto de estarem todos muito bem treinados para obedecer à voz e às ordens do dono sócretino. Agora, a quem eu acho mais piada neste fungaga é ao melga do «anti-tretas» que anda a perseguir e a picar profs, mas ainda não percebeu que as suas picadas incomodam tanto quanto o seu tamanho. Mas tal como os outros animais, não é por isso que não deixa de ser um parasita político…

  16. c.oliveira Says:

    A vossa cobardia continua! Quando assumem, de uma vez, assinar com o vosso nome as baboseiras que escrevem?

  17. Ana Says:

    Quando um dia mais tarde se aperceberem que não existem professores de qualidade neste país para educar os voossos filhos, então sim irão arrepender-se de terem maltratado os professores deste país.
    Analisem as entradas no ensino superior e façam um estudo dos jovens que querem seguir a via de ensino…
    O futuro da Educação Pública em Portugal está risco. Restará sempre o sector privado, para os que tiverem dinheiro, é claro!

  18. anti-tretas Says:

    António Duarte
    Concordo plenamente com esta parte do seu comentário a profissão representa, ou deveria representar: conhecimento, espírito crítico, exigência, rigor, independência.”
    Só que ele infelizmente não traduz a realidade.
    Pelo Post do Guinote, o CONHECIMENTO não abunda muito, ESPÍRITO CRITICO, é só para um lado, RIGOR, até pela imoralidade na autoavaliação para progressão na carreira, foi coisa que nunca existiu, INDEPENDÊNCIA, está à vista, veja a anunciada manifestação promovida pela Fenprof (frete ao PCP) antecipadamente anunciada para o próximo ano, antes das eleições!

  19. Anti-traste Says:

    O Tretas ainda não percebeu (faz questão de não perceber) que o modelo de avaliação que havia era uma produção de Guterres/Sócrates, promessa eleitoral da campanha de 1995.
    Conhecimento, espírito crítico (construtivo), rigor e independência são coisas que ele desconhece.
    De socialismo, ainda percebe menos.
    Fala de cartilha, porque foi essa a missão que lhe confiaram.
    Um novo verbo surge no vocabulário português:
    SOCRATEAR – verbo totalmente irregular de estranha conjugação; ocultar ou encobrir com astúcia e safadeza; disfarçar com a maior cara de pau ou cinismo.
    É óbvio que, da mesma forma que estes PêEsses não assumem as suas responsabilidades na situação que atacaram, nunca assumirão que são os responsáveis por estarem a conduzir a educação pública para o abismo.
    E o Zé é que há-de pagar todas estas aventuras.
    Manguito para estas políticas e seus responsáveis.

    Ò Traste és mesmo um Traste, sabias que o 1º Estatuto da Carreira Docente do ensino não Superior data de 1990 e foi revisto em 1998 e o artigo 42º não foi revisto. Esta avaliação já tinha 16 anos antes de ser aprovado o novo ECD

    Artigo 42.° Processo de avaliação
    1 – O processo de avaliação do desempenho inicia-se com a apresentação, pelo docente, ao órgão de gestão do estabelecimento de educação ou de ensino onde exerce funções de um documento de reflexão crítica sobre a actividade por si desenvolvida no período de tempo de serviço a que se reporta.
    2 – O documento de reflexão crítica referido no número anterior é objecto de apreciação pelo órgão de gestão do estabelecimento de educação ou de ensino em que o docente exerce funções, o qual, ouvido o órgão pedagógico, procede à avaliação do desempenho do docente, expressa na menção qualitativa de Satisfaz, ou propõe a atribuição da menção qualitativa de Não satisfaz a uma comissão de avaliação.

    Sabes quem era o Ministro da Educação em 1990
    Roberto Carneiro !
    E o 1º Ministro era nem mais nem menos o Sr Silva
    Traste és mesmo um traste! Com que então era promessa do Guterres?
    O vosso principal problema é socorrerem-se da mentira para argumentarem, por isso ”ladram, ladram e a caravana passa” a bem do País!
    O Zé está-se nas tintas para as vossas falsas desventuras!
    [Anti-Tretas]

  20. António Duarte Says:

    A profissão docente só não representa mais os valores que enunciei porque não nos deixam trabalhar com qualidade. Os seus amigos socratinos andam a dar cabo da escola pública, sabia? Já agora, saiba também que a FENPROF é a maior e mais representativa federação de professores sindicalizados. E até tem, imagine, muitos professores próximos do PS (já terá tido muitos mais). Na verdade, a FENPROF tem mais democracia interna do que o PS, que sabemos como trata, no seu interior, as vozes discordantes.

  21. JP Says:

    Traste, eu já sabia que eras um grande pintor, mas assim é demais!
    Se ninguém te levava a sério até aqui, agora é que não tens hipótese nenhuma!
    Grande traste, és o maior na treta!

  22. Manel Says:

    AT, tomaras tu saber fazer contas como o Paulo|
    O que tu tens é inveja por não estares à altura dele|
    Por isso é que tens vergonha de dar a cara.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: