Viva o Magalhães

Depois de ler mais um post do Marco sobre as preocupações da SIC sobre o controlo parental instalado no computador Magalhães, de facto a minha tampa saltou de vez.

Quero daqui mandar oficialmente à merda todos os media portugueses que se têm entretido a deitar abaixo este projecto. O Magalhães é Portugal no seu melhor. A tomar a dianteira, a arriscar, a investir.

É um investimento nos miúdos e também na tecnologia e na indústria que a suporta. É um investimento em empresas nacionais e uma aposta na capacidade de internacionalização.

Quando a merda da Selecção joga, as putas dos jornalistas (sim, “as dos”, mesmo assim), erguem todos a bandeira e põem a mão no peito: os salários ridículos que aqueles grunhos dos jogadores e treinadores ganham justificam-se porque levam a bandeira a todo o lado.

Mas quando Portugal produz um computador simples, compacto, completo, mas barato, para estudantes, com um enorme potencial de exportação, ninguém pensa sequer na bandeira. Só pensam em mandar abaixo, criticar, procurar todas as pequenas falhas e explora-las para obter primeiras páginas e aberturas de telejornais.

Estou farto deste lixo!

Como comentei no post do Marco, se o controlo parental do Magalhães viesse activo, o Governo seria acusado de fascismo por distribuir um computador com censura pré-instalada pelo Estado; como vem desligado, o Governo é acusado de leviandade e de pôr em risco a sensibilidade das crianças.

Agora que o Magalhães está aí, já não apenas para o chamado 1º ciclo, mas também para o 2º, espero que seja um estrondoso sucesso.

De certo, muitos miúdos farão porcaria com o seu computador; sempre foi assim: quando andei na escola, muitos miúdos usavam mais os livros para jogar à bola do que para estudar. Mas muitos outros terão a oportunidade de entrar para escola com um computador nas mãos e só quem vive dentro do seu próprio cú, é que ainda não percebeu que esta é a era em que vivemos, a era do computador, do software, das redes.

Há alturas em que criticar o Governo faz sentido. Devemos fazê-lo, devemos ser críticos de quem nos governa. Mas custa muito aos portugueses, aparentemente, ou pelo menos aos media, admitir quando o Governo faz algo bem feito e merecedor de aplauso.

Estúpidos, tacanhos, bestas inqualificáveis.

Aplaudo o Magalhães. A ideia, as pessoas que a tiveram e que a concretizaram. As pessoas que investiram e que fizeram andar o projecto que, acredito, deve ter sido complexo. Aplaudo, evidentemente, a JP Sá Couto, criadores do computador. O design, o nome e até o logotipo. E aplaudo José Sócrates e o seu Governo que souberam fazer a sua parte em tornar este projecto uma realidade.

PS: Já há muito que não o fazia, mas este post, creio, encaixa perfeitamente na minha categoria “só para dizer bem de Portugal”.

Publicado no Blog “Macacos Sem Galho”

11 Respostas to “Viva o Magalhães”

  1. fernando Says:

    a linguagem usada neste post retira qualquer possibilidade de uma discussão séria!

  2. almocreve Says:

    Ó homem, acalme-se! Ainda lhe dá uma coisa feia com esse stree todo! Isso de conviver mal com as opiniões diferentes é uma característica sua que já conhecemos. Agora também não precisa de ser tão baixo nível naquilo que escreve…

    [Almocreve
    Esclareço que este Post não é meu, mas sim uma transcrição de um Post publicado no Blog “Macacos sem Galho” e está devidamente identificado][Anti-Tretas]

  3. Fernando Martins Says:

    Caro tretas:

    É claro que o post não é seu, mas cita-o sem dar ênfase à origem. É um texto um bocadinho exagerado em termos de vernáculo e peca porque esquece, relativamente ao Magalhães, uma data de coisas:

    1- Que o nosso PM Sócrates disse uma data de mentiras sobre ele quando o apresentou (que era um projecto português, que iria ter incorporados muitos materiais portugueses, que era uma coisa fantástica, quando é uma cópia barata do ClassMate da Intel para combater o verdadeiramente interessante OLPC de Negroponte).

    2. Que foi um projecto que deveria ter sido alvo de Concurso Público, dada a quantidade de dinheiro envolvida.

    3. Que irá de facto custar muito dinheiro ao erário público – as contrapartidas das operadoras móveis são contabilizáveis em termos de dinheiro, pois assim o estado recebe a sua receita, em dinheiro vivo ou outras contrapartidas (aqui talvez haja contrapartidas, mas talvez só sejam contabilizadas nos registos financeiros não-oficiais de um partido…).

    4. Que o Magalhães, embora sendo um computador interessante para faixa etária do 1º Ciclo, será sobretudo usado para jogos, raramente será usado numa sala de aulas (até por causa da electricidade nas Escolas do 1º Ciclo) e irá tornar mais sedentárias e dóceis, sem ganhos de competitividade em termos de resultados escolares, os nossos alunos.

  4. Zé dos Reis Says:

    Fernando Martins –
    o governo publicou no seu portal (http://www.portugal.gov.pt/Portal/PT/Primeiro_Ministro/Noticias/20080730_PM_Not_EEscolinha.htm) em 30 de Julho, o seguinte:
    “O novo computador é baseado na segunda versão Classmate da Intel, um portátil desenvolvido especificamente para o mercado da educação pela multinacional norte-americana. Na primeira fase de produção, 30% da tecnologia do novo computador será nacional, mas até ao final do ano o Magalhães deverá incorporar apenas tecnologia nacional, com excepção do microprocessador, que será da Intel.”
    acredito que tenha pesadelos com o primeiro ministro e neles o oiça dizer coisas estranhas, mas na vida real não foi bem isso que ele disse.
    Acrescento: o OLPC sendo muito interessante é montado na China. ponto. o magalhães é montado, feito, whatever, cá em Portugal.
    Cito Rui Grilo “http://www.ideiasemserie.net/files/magalhaes.php”
    “Não é indiferente importar um produto fabricado na China (como o OLPC) ou criar condições para um consórcio de empresas portuguesas fabricar a máquina cá, incorporando cada vez mais componentes fabricados também em Portugal. É por isso que em vez de se criar uma “simples” fábrica OEM, o Magalhães permitiu que fosse instalado em Portugal o primeiro ODM na Europa.”
    e tb, do mesmo site:
    “(o magalhaes) Vale sobretudo porque coloca o computador e a Internet ao alcance de todas as crianças, e não apenas daqueles que podem pagar os preços de mercados.”
    e já agora, “Com o e-escola e o e-escolinha, todos os alunos entre os 6 e os 18 anos passaram a ter ao seu alcance um computador com ligação. Estamos a falar, incluindo professores, de 1 milhão e meio de portugueses, cerca de 15% da população. Não há memória de um investimento desta ordem nem há nenhum País que tenha feito nada parecido. É por isso que o que está em causa é investir na nova geração de portugueses para lhes dar as oportunidades que faltaram às anteriores.”
    o dinheiro que custa ao erário público.. pois, é do mais bem gasto que tenho visto, a relação custo-benefício é fantástica.
    o magalhaes será usado em jogos, em pesquisas indecentes, em talks no messenger, em cento e tal coisas que creio que critica e o preocupam. a mim o que me encanta (é o termo correcto) é os putos de 8 anos do interior de Portugal virem a saber utilizar um computador para essas coisas todas.
    deixe os putos pobres terem computador e gozarem com ele, ok?

  5. joão costa Says:

    MEU CARO , NÃO SERÃO SÓ AS CRIANÇAS E ADOLESCENTES PORTUGUESES A AGRADECER , TB OS DA AMÉRICA LATINA LHES AGRADECERÃO PELO MAGALHÃES, ALIAS ATRIBUO TODAS AS CRITICAS AO COMPUTADOR A DOR DE CORNO , Q COMO TODOS SABEM É BEM BRAVA DE SUPORTAR.
    O CHAVES PAGA COM PETRÓLEO AS CASAS PRE-FABRICADAS , 15 MIL E A INSTALAÇÃO DE UMA FABRICA NA VENEZUELA, PAGA OS MAGALHÃES, , PORTANTO E MENOS DIVISAS Q PORTUGAL GASTA NO PETRÓLEO, ALEM DE NEGÓCIOS , PQ REPARE BEM O DINHEIRO NAO TEM NEM COR NEM CHEIRO , REPAREM NOS USA, GUERRA DE PALAVRAS COM O CHAVES MAS EXPORTAM E IMPORTAM DA VENEZUELA , POR ISSO DIGO “MERDA” AOS CRÍTICOS DO MAGALHÃES

    JOÃO COSTA

    [Atenção, não escrevam comentários totalmente em maiúsculas porque o WordPress considera spam]

  6. Pedro Campos Says:

    Claro que sim… Viva o Fernão de Magalhães, o verdadeiro

  7. Fernando Martins Says:

    Caro Zé dos Reis:

    Sim, ainda bem que cita o fantástico texto que está no portal do Governo (“O novo computador é baseado na segunda versão Classmate da Intel, um portátil desenvolvido especificamente para o mercado da educação pela multinacional norte-americana. Na primeira fase de produção, 30% da tecnologia do novo computador será nacional, mas até ao final do ano o Magalhães deverá incorporar apenas tecnologia nacional, com excepção do microprocessador, que será da Intel.”) Logo aqui há duas mentiras, que só quem não entenda nada de computadores poderá deixar passar: o computador não BASEADO em, mas é EXACTAMENTE o Classmate da Intel; 30% de tecnologia nacional (ainda se fosse 30% em peso, pois alguns plásticos são feitos nos moldes da Marinha Grande…). É preciso ter decoro antes de dizer alarvidades ou de as citar…

    Quanto a pesadelos com o nosso PM, eu não sonho com homens e como professor quase não tenho tenho tempo para dormir, quanto mais para sonhar.

    “Acrescento: o OLPC sendo muito interessante é montado na China. ponto. o magalhães é montado, feito, whatever, cá em Portugal.”

    Fantástico – montamos cá o Classmate – muito bem! O OLPC é uma porcaria porque é montado na China… E se se tivesse negociado directamente com o Negroponte? Seria muito difícil… Para alimentar os tubarões da Wintel há dinheiro, para a única ideia válida e não copiada (a do Negroponte) nada.

    Quanto a pôr computadores não mãos das criancinhas, sou a favor – desde que haja controle parental, formação de professores e não se gaste dinheira subsidiar PC para alunos ricos – e são 3 coisas em que falha este projecto.

    Um exemplo: um colega meu viva com a esposa e 2 filhos. Tem 1 computador desktop, pediu o portátil para ele e para a filha mais velha e vai ainda pedir o Magalhães para o filho, que está Escola Primária. Acontece que este último irá para outro familiar e não para aquilo para que foi previsto – aliás logo que haja Magalhães estes serão facilmente vendidos na Feira da Ladra, talvez a 100 euros, tal é a fartura de ofertas (tipo Major Valentim) neste ano que precede o Ano das Eleições…

  8. anti-tretas Says:

    Fernando Martins a sua capacidade para arranjar argumentos para impor a sua razão é tão “grande” que até dá este exemplo : «um colega meu vive com a esposa e 2 filhos. Tem 1 computador desktop, pediu o portátil para ele e para a filha mais velha e vai ainda pedir o Magalhães para o filho, que está Escola Primária. Acontece que este último irá para outro familiar e não para aquilo para que foi previsto – aliás logo que haja Magalhães estes serão facilmente vendidos na Feira da Ladra, talvez a 100 euros, tal é a fartura de ofertas (tipo Major Valentim) neste ano que precede o Ano das Eleições…» aliás, muito pouco abonatório para a sua classe profissional, mas acredito que seja muito comum isso acontecer entre os professores!

  9. Fernando Martins Says:

    Caro tretas:

    Gostei que citasse tanto texto meu para depois dizer mal dos professores…

    Os professores vão fazer o mesmo que as outras pessoas: alguns vão aproveitar a “chuva de computadores à moda do Major Valentim”, na versão Sócrates, para ajudar outros familiares. Mas muita gente vai fazer negócio com os portáteis, e isto com o dinheiro de todos, o que é pena pois os PC subsidiados deveriam ser para quem precisa e para usar no que é necessário: na Escola e no estudo e aprendizagem em casa. E este modelo falha redondamente aí: na Escola será impossível usá-los (os miúdos não os levarão todos para a sala e, se os levarem, não haverá fichas eléctricas para todos ou o quadro não aguentará, para além de não haver dinheiro para a formação dos docentes de 1º Ciclo…) e em casa será o que já sabemos do Programa e.escola: jogar, jogar, jogar, e-mail, downlods de música e filmes e messenger a toda a hora (estudar – nada…).

    Mas em vésperas de eleições tinha de haver alguma animação, porque a coisa em termos económicos está bem e se proporciona a estas fantochadas eleitorais.

    PS – O resto dos meus argumentos, estou a ver que entendeu e aceitou tudo – está a aprender umas coisas.

  10. Zé dos Reis Says:

    Fernando Martins, não sabia que era professor, ter-me-ia abstido de tentar explicar-lhe fosse o que fosse, a sua opinião é imutável independentemente dos argumentos contrários.
    Portanto o que se segue tem como destinatários os outros leitores deste blog.
    Soube agora que há professores a defender a escola pública gamando o dinheiro dos contribuintes, como se pode ler 2 comentários acima.
    O que eu não percebi é o que vai acontecer ao puto, se leva com um computador melhor que o Magalhães, que é computador de pobre, não serve para filhos de professores, ou leva uma lamparina quando se queixar que é o unico na escola que não tem computador : “eu até tinha, mas o meu pai deu-o ao meu primo…”
    Claro que se fosse um OLPC (de que eu gosto bastante, diga-se) nunca seria vendido na feira da ladra nem iria para o primo, embora a razao de isto acontecer com o Magalhães e não com outro computador me escapa.
    Suspeito até que o Magalhães, se fosse patrocinado por um governo do PSD ou do PCP, cada vez se distinguem pior, seria muito bem aceite por todos os actuais críticos, e no caso do PCP quem fosse apanhado a vende-lo na feira da ladra ou a dá-lo ao sobrinho teria uma explicação prática do “centralismo democrático” e das “liberdades”.

  11. Fernando Martins Says:

    Caro anónimo “Zé dos Reis”:

    O meu nome é real, está associado a uma pessoa que publica na blogosfera (participo em diversos Blogues) e a sua dúvida sob o facto de não saber antes que era professor é porque não lê tudo o que devia ler antes de escrever aqui.

    Quanto ao facto de alguns professores (na sua qualidade de pais e encarregados de educação) virem a usar o Magalhães para outros fins que não os previstos, deve-se ao facto de o projecto ter sido feito em cima do joelho e da regra do facilistismo que o próprio Ministério quer impor na Escola.

    Quanto às falhas neste projecto, se quer perceber melhor, eu explico, ponto por ponto, para perceber tudo (também sou professor de currículos alternativos e quando é preciso consigo explicar de forma muito esmiuçada até ao mais fraco das pequenas células cinzentas entender tudo):

    1. Este projecto deveria ter sido alvo de concurso público, para não se falar em favores a uma empresa que vai ganhar milhões. O concurso deveria implicar a montagem dos Magallanes em Portugal com criação de empresas que produzam materiais informáticos a incorporar nesse computador, o que não foi feito.

    2. O projecto One Laptop Per Child deveria ter sido consultado, pois para eles tanto faz montar na China ou em Matozinhos.

    3. O Primeiro Ministro não deveria ter dito as mentiras que disse na apresentação do Projecto, pois rapidamente foram descobertas pela blogosfera e acabaram por chegar aos jornais.

    4. Só quem efectivamente precisa de apoio deveria receber apoio na aquisição deste material. Os restantes deveriam adquiri-los a preço de mercado, podendo haver um desconto se estes ficassem na Escola.

    5. Os PC deveriam ser obrigatoriamente usados na Escola, estando este ponto previsto no acordo de compra e venda, só passando à posse efectiva do comprador (ou utilizador) no final do Ciclo.

    6. As instalações eléctricas das Escolas deveriam ser preparadas para receber os portáteis em uso intensivo, pois de outro modo não poderão ser usados na Escola.

    7. Deveria ser dada efectiva formação aos docentes de 1º Ciclo e Pais e EE para perceber o fazer com esta ferramenta e como não a usar.

    Percebeu tudo ou quer que explique um bocadinho melhor algum ponto?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: