«os militares não podem ser vistos como um vulgar agente da Administração Público»

Até aqui o Governo não cedeu a chantagens, mas se ceder a este inicio de chantagem dos militares, então terei que dar razão aos Professores e darei o meu apoio a todas as suas reivindicações, pois tenho a perfeita consciência que o País necessita muito mais que os Professores tenham estabilidade emocional e profissional, do que os militares.

O País tem de continuar a fazer esforços de contenção da despesa Pública, mas uma coisa é certa, o contributo dos Professores para o desenvolvimento do País é inquestionável, quanto ao contributo dos militares é muito discutível!

7 Respostas to “«os militares não podem ser vistos como um vulgar agente da Administração Público»”

  1. atento Says:

    JÁ NÃO ERA SEM TEMPO. Algum dia havia de dizer alguma coisa de jeito.

  2. João Duarte Says:

    Ou seja, todo este aranzel contra os professores tem a ver com a despesa pública. Bem me parecia que era isso.
    Bem sei que o Ministério da Educação é aquele em que há mais funcionários, logo mais despesa, mas não era preciso esta campanha toda. Bastava dizer que havia necessidade de poupar dinheiro. Alguns professores (aqui falo por mim) compreendiam muito melhor isso, do que tudo o resto que foi dito contra eles.

  3. MFerrer Says:

    Desde que uns e outros não se deixem instrumentalizar pelos partidos da oposição e pelas corporações!
    MFerrer

  4. Francisco M. Costa Says:

    O contributo dos militares não é nulo. É altamente negativo. E fazem menos falta do que uma viola num enterro. Não é tanta falta, é menos

  5. MFerrer Says:

    Que me lembre – e estou pronto a retratar-me, caso me provem o contrário – foram os professores que com as suas atitudes corporativas e capturadas pelo sindicalismo mais retrógrado, se encarregaram de se colocar num nível sempre mais baixo. Basta ir ver um desses blogs contra o ME e a Ministra Falam por si.
    Quando é que os professores foram atacados e por quem?
    Digam lá!
    Foi quando os mandaram cumprir o horário de presença na Escola?
    Foi quando lhes cortaram as faltas injustificadas?
    Foi quando se levantou um coro nacional contra as aulas de substituição?
    As aulas de inglês no 1º ciclo?
    Fooi quando não admitiram ser avaliados?
    Quando o ME estabeleceu como em tudoina vida, uma hierarquia na EP? Ao contário do que há e sempre haverá na Privada?
    Preferem a EP? . Pois concorram a ela. Ali reina a harmonia, a igualdade de oportunidades para todos e a segurança no emprego. Está-se mesmo a ver.
    Preferem rankings? Pelo menos não vos oiço dizerem nada sobre isso que agora uma certa camapnha quer utilizar como arma de arremesso contra o Ensino Público e, dá ideia, de que os pobres dos professores nem se dão conta do logro.
    Deve ser ideia minha!
    MFerrer
    Digam lá e deixem de se fazer de vítimas que por aí não conseguem nada
    MFerrer

  6. Carlos Fernandes Says:

    O que têm em comum professores e militares? São pagos com os nossos impostos!

  7. Francisco M. Costa Says:

    A acção dos militares não tem qualquer relevância na criação de riqueza. Os orçamentos militares são técnicamente caracterizados como “Ecargos Gerais da Nação” e lado da receita são apenas lançadas verbas oriundas do Tesouro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: