É falso que os professores não querem ser avaliados

“Este video, que descobri no Arrastão, esclarece definitivamente que espécie de avaliação pretendem os professores.

Notem, em primeiro lugar, que a professora da direita (que idade tem ela?) está aborrecida porque planeava reformar-se no próximo ano lectivo, e, afinal, vai ter que trabalhar mais doze anos. Que tremenda injustiça.

Depois, a ideia orientadora geral, como nos explica a da esquerda, é que “colegas não avaliam colegas”, mas tampouco é aceitável que venham pessoas de fora avaliar o seu trabalho.

Como deveria então ser a avaliação? Segundo a da esquerda, deveria incluir duas etapas:

1. Auto-avaliação, ou seja, o professor avaliar-se-ia a si próprio.

2. Avaliação conjunta, ou seja, os professores de cada escola avaliariam em grupo o seu desempenho, sem todavia darem notas uns aos outros.

Parabéns ao Daniel pela objectividade da reportagem. Finalmente, ficámos todos a perceber.”

Publicado por João Pinto e Castro no Blog “Jugular” e no Blog “bl-g- -x-st-“

6 Respostas to “É falso que os professores não querem ser avaliados”

  1. anti-tretas Says:

    Certamente para o C. Oliveira tal como o Fernando Alves da TSF também o Daniel Oliveira do “Eixo do Mal” da SIC tem uma opinião completamente isente sobre este assunto, nada influenciado pelo Anacleto Louça na busca de capitalizar mais votos que coloquem o Bloco de Esquerda à frente do PCP nas próximas eleições…

  2. Jotta Says:

    Excelente peça do humor do esquerda.net!

  3. Maria Helena Says:

    afinal eles sempre querem ser avaliados!
    Que disparate, na mesma profissão haver uns mais competentes que outros…

  4. ao que isto chegou Says:

    Manual de guerrilha distribuído aos professores

    Num site de professores intitulado ProfAvaliação, dão-se instruções precisas de como boicotar a avaliação. Numa das entradas [Que fazer amanhã?], pode ler-se o seguinte:

    “7. Não entregar os objectivos individuais. A única coisa que pode acontecer aos professores que não entregarem os objectivos individuais é sujeitarem-se a que sejam os avaliadores a fazê-lo.

    8. Não estabelecer quaisquer acordos sobre calendário de assistência a aulas. Os avaliados devem dizer apenas: a minha sala está aberta; entre quando quiser. Ter sempre um teste ou ficha preparada. Quando o avaliador entrar na sala para assistir à aula, aplicar o teste ou a ficha.”

    Fazer testes aos alunos para não se ser avaliado… Julgo que é a isto que se chama profissionalismo e dedicação às pequenas cobaias que diariamente os pais confiam às escolas.

    Publicado aqui: http://corporacoes.blogspot.com/

  5. almocreve Says:

    Excelente: o anto tretas esclarece “definitivamente” a questão! É assim tipo Cavaco que nunca se enganava e raramente tinha dúvidas. Basta que a D. Lurdes, os sindicatos e os professores vejam este post para “definitivamente” ficar o assunto arrumado!
    Andam para aqui 120 mil a manifestar-se, milhares a pedir reformas antecipadas, outros tantos milhares a sair das escolas todos os dias às 9 e 10 da noite em maratonas de reuniões quando, afinal, o anti-tretas tinha a resposta “definitiva”. O que nós precisamos é de gente assim. Que mostra um vídeo revelando a verdade “definitiva”. O anti-tretas é o Messias que vem pôr ponto final à discussão. Ou então, é apenas alguém que muito dificilmente se pode levar a sério.

  6. Ana Dias Says:

    passem por aqui http://rprecision.blogspot.com/
    Mais um excelente Post do Luís Grave sobre a avaliação de Professores

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: