Que tipo de ameaças farão aos colegas de profissão, as bestas que se dizem professores?

wanted

Se algumas bestas que se dizem professores colocam esta imagem, que já foi alterada, para ilustrar este Post relativamente a Sofia Loureiro dos Santos autora do Blog “Defender ao Quadrado” só porque tem opinião critica, sobre esta palhaçada de luta dos Professores, o que farão aos colegas que acham que este modelo de avaliação até é aceitável?
Naturalmente por isso se percebe perfeitamente, todos os comentários que são feitos aqui e noutros Blogs contra a Professora Armandina.

10 Respostas to “Que tipo de ameaças farão aos colegas de profissão, as bestas que se dizem professores?”

  1. Marta. S. Fialho Says:

    O que me incomoda profundamente é, como é que Professores sérios, honestos profissionalmente e dedicados, não se demarcam deste tipo de gente que mais não quer do que manter as facilidades com que iam progredindo na carreira independentemente da sua competência, aliás os incompetentes estão na fila da frente nesta palhaçada como diz o autor deste post, com medo de serem avaliados.
    A demagogia daqueles que à boca cheia dizem que são muito rigorosos na avaliação dos alunos, tentando demonstrar competência, serve só para esconder afinal, o auto reconhecimento de incompetência

  2. Alexandra Vasconcelos Says:

    Tem toda a razão, Marta.
    Eu,pela minha parte, vou deixar de estar silenciosa.
    Estou realmente farta desta conversa dos meus colegas, que fingem que tudo estava bem, na educação. Que continuam a achar que existia avaliação, o que não corresponde à verdade.
    Mas, estou mesmo farta dos insultos que se fazem nos blogues a pessoas, que fazem trabalhos muito sérios. CHEGA!!!!

  3. Sofia Loureiro dos Santos Says:

    Obrigada, Anti-tretas. Acredito que os professores tenham dificuldade em se manifestarem contra a opinião dominante. Devem sentir-se intimidados.

  4. Marisa Guedes Says:

    Continuam os insultos. Chamar “bestas”, “palhaçada de luta”…. assim pode….
    (Repudio veemente esta alteração de imagem).

  5. anti-tretas Says:

    Marisa Guedes
    O problema principal não está na alteração de imagem mas sim no conteúdo que tem como objectivo intimidar, o que obviamente quem utiliza este tipo de processos só pode ser uma besta.
    Quanto à palhaçada de luta, que outro nome se poderá dar, quando todos os cidadãos activos deste País são avaliados, digo avaliados e não auto-avaliados, e uma classe profissional, por obra de algum espírito divino, acha que não deve ser avaliado o seu desempenho profissional, bem assim como a sua classe não deve ter divisões para que não haja declaradamente hierarquias de competência.

  6. Júlio Says:

    E não fizeste tu o mesmo a um gajo que aí foi quando lhe publicaste o comentário?

  7. Marisa Guedes Says:

    Anti-tretas
    O problema principal está em os professores não quererem ESTA avaliação. Não reconhecem os professores titulares como superiores hirárquicos, porque os concursos não foram justos e não valorizaram a actividade pedagógica com os alunos, dentro da sala de aula. Palhaçada foi a avaliação do ano passado, quando a senhora ministra AMEAÇOU que todos os contratados que não fossem avaliados não poderiam concorrer em 2008/2009. Sabe quando é que eu soube a minha avaliação?? Em Outubro. Sabe quando é que se teve conhecimento a aplicar das percentagens de menções de MB e Exc?? a 22 de Julho. Não me peçam para aceitar algo feito em cima dos joelhos. A casa inicia-se pelos alicerces e não pelo telhado.

  8. João Duarte Says:

    Concordo coma Marisa Guedes quando diz (e bem) que os professores não reconhecem os titulares (que raio de nome! -podia ser professor de 1.ª e professor de 2.ª) como superiores hierárquicos. Há muitos que os conhecem bem… Mas como só contaram os últimos 7 anos!!!!

  9. JP Says:

    João Duarte
    Estou plenamente de acordo consigo! Realmente esta divisão na carreira não tem jeito nenhum…
    Na anterior avaliação era bem melhor, pois os professores quer fossem competentes ou incompetentes na prática eram todos de 2ª, mas para subirem na carreira eram todos de 1ª…

  10. João Duarte Says:

    Caro JP:
    Não percebe nada de nada. Eu sou só professor (não titular). Não quero, sequer, ser titular. Não me interessa, percebe?
    Como um comentador pró-governamental disse em tempos “Nem todos podem ser generais”. É verdade!
    Eu quero ser só tenente-coronel. Chega-me. Mas um tenente-coronel ser avaliado por um sargento, diga lá onde acontece?
    A mim nem me preocupa a avaliação. Não é por causa disso que não concordo com as políticas do ME. É mais por fazerem dos professores bodes expiatórios do défice. Para o qual nunca contribuí. Limito-me a fazer o meu trabalho. Milagres, não faço, isso não. E para fazer o meu trabalho, com quase 20 anos de carreira, ando de terra em terra. Este ano faço todos os dias 140 Km , quando outros menos graduados do que eu estão a 15 km da minha residência. Devo estar feliz, não? O que me preocupa é que haja tanta gente a opiniar sobre coisas que desconhece.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: