Intelectualóides filhos de Abril

Apesar de dizerem que aceitam opiniões contrárias ás suas, os oleosos intelectualóides virtuais encontraram na Internet um meio de se promoverem, mas rejeitam sempre as opiniões de todos os outros a quem eles acusam de estarem completamente errados e de serem uns imbecis por não pensarem como eles
A classe profissional que tem revelado essa espécime em maior número é a dos professores, isto porque passaram a ter de ser confrontados com a sua real competência, e não aquela que eles dizem ter!
O exemplo mais básico desse tipo de intelectualóide, é este que através do seu “umbigo”, como se pode ver aqui, cada post que publica provoca grande êxtase alucinatório aos bimbos e parolos que o seguem!
Estes inteletualóides que estão entre os 40 e 50 anos, fizeram o liceu e a faculdade durante os anos 80 e como não tinham saídas profissionais para os cursos que tiraram, ingressaram no ensino no anos 90, só assimilaram o conceito de ética porque estudaram Platão, mas esse conceito pouco significado teve nas suas vidas, pois passaram a pertencer a uma classe media alta sem raízes, que com dr antes do nome, procuram fazer crer que são uma casta especial que Abril pariu

8 Respostas to “Intelectualóides filhos de Abril”

  1. raiva Says:

    E Você é um deles parido numa noite de nevoeiro.

  2. P.Pacheco Says:

    aquilo que mais me diverte nas discussões dos intelectualóies são os pinotes que eles dão para defenderem a merd. das suas ideias, vejam o que se passa na trampa do “blog convidado do Público”

  3. fernando Says:

    é preciso inventar um mundo à medida do antitretas – é verdade que ficava a falar sozinho mas teria sempre razão!

  4. Joaquim Says:

    Depois de ter lido as suas últimas entradas aconselho-o vivamente a consultar o seu médico de família com urgência.

    Observação importante: não estou de modo nenhum a brincar consigo ou com o seu blog.

    [Pelo teor do comentário nota-se bem que não está a brincar, o seu transtorno psicológico é bem evidente! Isso deve ser alguma crise de identidade profissional.
    Você gostava de ser médico em vez de professor? Deve ser frustrante estarmos numa profissão que não gostamos… mas tem duas alternativas ou deixa de ser professor ou faz uma cura de sono. Para os casos como o seu às vezes resulta…][Anti-Tretas]

  5. Joaquim Says:

    Sou médico e nunca fui professor.

    Parece que necessita mesmo de fazer uma consulta. Faça o seguinte, solicite a alguns amigos e familiares para lerem o seu blog fazendo uma análise ao conteúdo do mesmo e depois reflicta um pouco.

    PS: É para seu bem.

    [dr jaquim, eu sei que a sua receita, apesar do objectivo não estar bem definido se é para diagnóstico ou terapia, é para meu bem…! Mas uma coisa já deu para ver, se não é professor é maluco, porque à semelhança do que os professores fazem com a sua própria imagem, o dr jaquim quer denegrir a imagem dos médicos. Mas não se preocupe que não é o primeiro, nem será o ultimo maluco que por aqui entra!][Anti-Tretas]

  6. TELMO BÉRTOLO Says:

    E se se deixassem de «Tretas» e fossem trabalhar, fazer algumas coisa de útil pelo País? Se não fossem esses Professores que criticam, nem sequer conseguiam estar aqui a fazer graçolas!… Não havia Formação Cívica no tempo em que estudaram? O respeito é muito bonito e atravessa todas as épocas!… E em todas as épocas há indivíduos que não sabem o que isso é! Coitados!…

    [Muito bem! Estou plenamente de acordo consigo que há indivíduos que não sabem o que é o respeito, a começar por aqueles que deviam servir de exemplo para os alunos, nomeadamente alguns dos seus colegas que tiveram formação cívica no tempo em que estudaram!
    No meu tempo a formação cívica que havia era a da mocidade Portuguesa, formação essa que nunca tive muito interesse em absorve-la…
    Mas fica registado o seu apelo ao respeito, certamente a começar pelo respeito que todos devemos ter pelos titulares dos órgãos de soberania democraticamente eleitos pelo voto dos portugueses][Anti-Tretas]

  7. Joaquim Says:

    Precisa mesmo de ir ao médico! Necessita, ainda, de se matricular num colégio interno de forma a melhorar a sua educação!

    [Este jaquim que tem a mania que é médico, é mesmo maluco!][Anti-Tretas]🙂 🙂

  8. Ifigénia Says:

    Conheci hoje o seu blogue e gostei dele. Sou professora e concordo totalmente com o que aqui escreve. Infelizmente, muitos professores têm, de facto, uma formação académica muito deficiente, professores e não só.
    Essa deficiente formação é uma consequência do péssimo ensino que se ministrou nas escolas nos anos oitenta e noventa. O facilitismo foi tanto que deu nisto. eles são os ” filhos de Rosseau “.
    Quanto à avaliação, ela de facto tem de ser implementada e esta gritaria toda só apareceu porque os professores começaram a ter consciência que tinham de trabalhar a sério, exigir a sério, serem professores a sério. Até agora, nestes últimos trinta anos, a educação foi uma palhaçada. Um número elevado de alunos foram privados de conhecimento por serem rotulados de ” deficientes” que não têm capacidade de aprendizagem devido ao meio e então não se deve exigir, isso é para os filhos dos que já são doutores, porque esse parece que nasceram com um cérebro diferente e então já têm mais capacidade…Uma vergonha.
    Na minha escola, o discurso do “PC” sindicalista já começou. ” Não devem entregar objectivos nem aceitar este simplex, vocês assinaram uma moção, não podem ir contra o que assinaram…” Uma vergonha, se isto não é clima de terror, não sei o que é…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: